Anabela ANSIC

Mensagem da Presidente

Anabela Martins Gonçalves

Numa situação de Pandemia Mundial, alcançar objetivos torna-se mais desafiante do que nunca.

No entanto, a esperança e a força de um paciente, de um pai ou de uma mãe, de um cuidador, são de tamanha importância que, se juntarmos um grupo de pacientes e pais/cuidadores com profissionais de saúde, entidades governamentais e suas instituições, e todos os parceiros, sejam eles Nacionais ou Internacionais, a trabalhar em prol de um objetivo comum, obterão seguramente os resultados pretendidos e poderão, até, ir além do imaginado.

Esperança na Medicina e nos Profissionais de Saúde!

Esperança em cada um de Nós e em todos Nós, Juntos!

Eis o que nos Move!

Somos ANSIC – Associação Nacional de Síndrome de Intestino Curto e Doenças de Insuficiência Intestinal!

Somos um Grupo de Força e de Esperança!

MISSÃO

Promover a melhoria das condições de vida dos pacientes de Síndrome de Intestino Curto (SIC) e das suas famílias, promovendo a divulgação e sensibilização da sociedade sobre a patologia e pugnar pela implementação das melhores práticas clínicas, terapêuticas e sociais a nível Nacional.

OBJETIVOS

  1. Reconhecimento, pelo Estado e todas as instituições públicas e privadas ligadas à área da saúde e similares:

    • Da Síndrome de Intestino Curto e de outras patologias no âmbito da insuficiência/falência intestinal, como patologias raras, de dimensão relevante, merecedoras de cuidados e tratamentos de cariz especial e excecional, relevantes para o Sistema Nacional de Saúde;

    • De todos os pacientes identificados com a Síndrome de Intestino Curto ou com outras patologias no âmbito da insuficiência/falência intestinal como doentes de doença crónica grave e limitante, bem como de todas as necessidades inerentes às patologias em questão;

  2. Promover a implementação, pelo Estado e por instituições públicas ou privadas ligadas à área da saúde e similares, de pelo menos dois Centros de Referência destinados a doentes com a patologia de Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal;

  3. Promover a implementação de boas práticas médicas ao nível dos doentes com a patologia de Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal;

  4. Promover a formação específica de todos os profissionais de saúde ligados à área da patologia de Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal;

  5. Promover a melhoria da qualidade de vida dos doentes com Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal, no seu contexto pessoal, profissional e social, assim como dos seus cuidadores;

  6. Promover o desenvolvimento individual, profissional e social dos doentes com Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal e seus familiares;

  7. Defender os direitos dos doentes com Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal e seus familiares, nas suas atividades individuais, profissionais e sociais;

  8. Promover a conexão com todos os países em que se verifique o desenvolvimento científico da patologia de Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal, seja ao nível do Estado e suas instituições públicas, seja ao nível de instituições particulares;

  9. Promover o desenvolvimento e implementação de medidas de melhoria no que respeita aos serviços e material de apoio médico existente para a patologia de Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal, bem como assim a informação essencial a disponibilizar junto de pacientes e familiares;

  10. Promover a eliminação das desigualdades existentes entre a ARS Norte e a ARS LVT ou ARS Sul relativamente à disponibilização de suplementos, medicação ou quaisquer materiais essenciais a estas patologias;

  11. Promover a implementação de apoios sociais por parte do Estado, ou de natureza similar, destinados especificamente aos doentes de Síndrome de Intestino Curto e outras decorrentes de insuficiência/falência intestinal.

ATIVIDADES
(2021 - 2024)

  1. Na área da saúde:

        • Apoiar, informar e proporcionar tranquilidade aos doentes com Síndrome de Intestino Curto e outras patologias decorrentes de insuficiência/falência intestinal dependentes de nutrição parentérica, através da informação e busca de melhores condições no tratamento das patologias e qualidade de vida;

        • Divulgação e sensibilização, junto da sociedade civil, para a problemática da Síndrome de Intestino Curto;

        • Divulgação e sensibilização, junto da sociedade civil e dos profissionais de saúde, para a dimensão e classificação da Síndrome de Intestino Curto como doença rara;

        • Iniciativa e participação em ações ou iniciativas que visem uma melhoria das condições de vida de todos os portadores de Síndrome de Intestino Curto e de outras patologias dentro da insuficiência/falência intestinal;

        • Dar apoio e incentivo na área do ensino científico, especialmente através de prémios e bolsas de estudo ou subsídios periódicos, de harmonia com regulamento próprio;

        • Realização de palestras e colóquios subordinados a temas com especial relevância;

        • Promover a realização de questionários, junto de doentes e família, de forma a identificar as necessidades e expectativas mais relevantes, junto da comunidade de Síndrome de Intestino Curto e similares;

        • Promover diversas iniciativas de voluntariado de forma a prosseguir-se os objetivos e demais atividades da Associação;

        • Reunir com representantes governamentais e com representantes de instituições públicas e privadas ligadas à área da saúde, com o intuito de serem alcançados os objetivos a prosseguir pela Associação;

        • Estabelecer e manter protocolos com federações e associações, a nível nacional e internacional, com o intuito de partilha de experiências, informação e apoios no âmbito da  Síndrome de Intestino Curto e similares;

        • Desenvolver atividades pedagógicas relacionadas com a partilha e divulgação de boas práticas de responsabilidade social na área da saúde;

        • Promover a implementação de um centro de atendimento/acompanhamento e reabilitação social para pessoas que padecem de Síndrome de Intestino Curto ou doença similar;

        • Promover a importância e a continuidade do serviço de apoio domiciliário para pessoas que padecem da patologia de Síndrome de Intestino Curto ou similar;

        • Promover a importância e a continuidade da existência de uma equipa de cuidados continuados integrados para pessoas que padecem da patologia de Síndrome de Intestino Curto ou similar;

        • Promover a implementação de centro de atendimento/acompanhamento social e psicossocial para familiares e doentes de Síndrome de Intestino Curto e similares, enquanto não for criado o Centro de Referência para estas patologias;

  1. Nas áreas social e económica:
        • Identificação dos casos que necessitem de amparo social na doença e estejam em situações de isolamento;

        • Apoio à família relativo aos direitos e mecanismos a acionar ao doente de Síndrome de Intestino Curto, e similar;

        • Apoio à integração social e comunitária do doente de Síndrome de Intestino Curto e da sua família;

        • Prevenção, promoção e proteção da saúde, nomeadamente através da prestação de cuidados de medicina preventiva, curativa e de reabilitação e assistência medicamentosa;

        • Garantir a capacidade de fazer escolhas médicas informadas, através da disponibilização, on-line, da informação sobre novas técnicas e terapêuticas utilizadas;

        • Sensibilizar e esclarecer a opinião pública para as limitações dos doentes com Síndrome de Intestino Curto e promover iniciativas de índole social, cultural e política destinadas à sua ampla divulgação junto da sociedade, obtendo o seu reconhecimento;

        • Participar ativamente em ações ou iniciativas que visem uma melhoria das condições de vida de todos os portadores de doenças raras de natureza intestinal;

        • Desenvolver atividades de natureza instrumental relativamente aos fins não lucrativos, mesmo que em parceria com outras entidades, desde que os resultados económicos contribuam exclusivamente para o financiamento da concretização daqueles fins.

Faça-se Associado!

Quota anual ANSIC

+ taxa de Inscrição de € 10 para novos sócios.
Ajude a nossa causa com um donativo:

Contacte-nos!